""

Regue com abundância e em profundidade. A maioria das plantas é mais saudável quando as suas raízes se desenvolvem profundamente no solo, em vez de próximas à superfície ou no exterior. Deixe a água penetrar profundamente, a fim de saturar o solo completamente e garantir que ela atinja as extremidades das raízes, também encorajando o crescimento da raiz para baixo.
A paisagem cultural aborda a associação de características humanas, biológicas e físicas sobre a superfície da Terra (especialmente as que são visualmente perceptíveis), alteradas ou não pela ação humana. Como a paisagem, é considerada a materialização da ação humana no espaço, através da necessidade de adaptação à sobrevivência do homem na natureza, e, atualmente, a sociedade, de alguma maneira, está presente em quase toda a superfície terrestre, podemos dizer que, nessas circunstâncias, não mais existe uma paisagem natural. Haja vista que toda a paisagem, mesmo que aparentemente intocada, já perdeu a sua "naturalidade", pois foi, segundo Santos (2002), coisificada. Mesmo que o homem não tenha nela colocado os seus pés, já lhe foi atribuído algum significado e, portanto, faz parte de uma cultura, até mesmo de uma cultura capitalista, na qual faz parte o "racionalismo econômico" (LEFF, 2006) a tudo dá valor. Assim sendo, mesmo de maneira genérica, poder-se-ia dizer que toda a paisagem é cultural, pois mesmo nos recantos intocados das florestas tropicais há a incidência dos valores sociais atribuídos pelo homem.

. As plantas são mais receptivos à água a esta hora do dia, porque suas células são "abertura" para aceitar o orvalho da manhã através das folhas. (Esta é a razão pela qual a alimentação foliar, quando você pulveriza algo como chá composto diretamente sobre as plantas para alimentá-los, só deve ser feito no início da manhã). As raízes das plantas também são mais receptivos a água na parte da manhã, e usar a umidade é fornecido com a máxima eficiência.
Plantar grama em jardim em casa é uma atividade relativamente simples e que pode produzir bons resultados depois que a grama pegar e ficar toda verdinha. Uma das práticas mais comuns é o plantio da grama em tapetes que são compradas nesses distribuidores de grama, pois ela já vem pronta bastando você colocar os tapetes lado a lado na área devidamente preparados para este fim.

: novas plantas grandes. Quando você insere novas árvores e arbustos no solo no início da primavera ou no outono (nunca no verão, quando o risco de morte é muito alto), deixe a mangueira de água a cair na base de cada novo sistema por 24 horas e repita a cada poucos dias a várias semanas, se a chuva é escassa. Afaste-se se a chuva é abundante, mas estar preparado para fornecer uma hora diferente "gotas" por muito tempo um par de vezes por semana, durante um ano inteiro. A falta de água na fase inicial é a principal causa de morte de árvores recém-plantadas.
O costume de criar plantas em casa sempre foi algo comum da humanidade, independente da cultura e por incrível que pareça, mesmo nas regiões mais secas do nosso planeta, até metade da água usada por uma família pode ser dedicada aos cuidados do gramado e do jardim. Mas a boa notícia é que você pode limitar o gasto de água e desperdiçar o mínimo simplesmente mudando a hora do dia em que você irriga as plantas.
A umidificação radical pode ser usada não só pela manhã, mas também durante o dia. Economiza tempo, consumo de água e minimiza a participação humana. A principal desvantagem deste método de irrigação é a laboriosidade do processo de instalação. Mas logo todo o dinheiro e os custos de mão de obra para a irrigação por gotejamento do gramado compensam completamente.
É necessário prestar atenção à temperatura da água de irrigação. Não é recomendado regar a grama diretamente de um poço ou poço. A temperatura abaixo de 10 ° C choca o sistema radicular da planta. Com a irrigação manual, a água deve ser defendida preliminarmente em recipientes especiais. Muito mais fácil, se você possui um sistema de irrigação automático para o gramado. A água do poço, sob pressão, tem tempo de aquecer até a temperatura do ar antes de entrar em contato com a grama e o solo.

O urbano está repleto de significações culturais, desde a forma de organização e de uso do solo, nas suas materialidades, que são expressas em suas construções (ruas, casas, avenidas, edifícios, praças, parques, monumentos, etc.) ou nas suas relações econômicas e sociais, redes técnicas e informacionais (SANTOS, 2002, p. 263). Pode-se dizer também que a cidade abriga atualmente um contigente majoritário da população, e os interesses individuais são contraditórios. No espaço urbano, os diferentes interesses, relacionados à ocupação e uso do solo, estão repletos dessas contradições (CARLOS, 2005, p. 42). Santos (2002 p. 78) diz que "através do trabalho, o homem exerce a ação sobre a natureza, isto é, sobre o meio, ele muda a si mesmo, sua natureza intima, ao mesmo tempo em que modifica a natureza externa". E como a paisagem é a materialização do processo relacional homem/meio, a paisagem urbana tem, sem dúvidas, esse significado.
De grande relevância, a interpretação das imagens aéreas servem como preciosidade, pois ela dispõe de uma visão ampla e instantânea das paisagens. Na escala média (1/100.000 e 1/200.000) é possível de maneira satisfatória cartografar os geosistemas. Individualmente, cada geosistema está relacionado a um determinado lugar de acordo a cor e a respectiva trama que são selecionadas pela expressão dinâmica do geosistema, (exemplo: azul para os geosistemas climácicos, verde para os geosistemas paraclimácicos, amarelo para os geosistemas regressivos com degradação antrópica dominante, vermelho para os geosistemas com evolução essencialmente geomorfológica).[10]
Cultivo meu jardim e rego minhas sementes. Pouco me importa se o vizinho tem jardim maior, mais bonito e florido. Estou cuidando do meu, para que um dia possa florescer através do meu esforço. Enquanto alguns deixam de regar suas sementes para observar as flores alheias, eu me orgulho das minhas sementes estarem germinado viçosas. Um dia estarão todas floridas.
Paisagem é um conceito que tem sido utilizado nas artes e na ciência, principalmente na Geografia, na Ecologia e na Arquitetura Paisagista. De acordo com a Convenção Europeia da Paisagem: "designa uma parte do território, tal como é apreendida pelas populações, cujo caráter resulta da ação e da interação de fatores naturais e/ou humanos".[1] É um conceito que mantém uma forte relação com o visual e com o imediatamente percebido. Em uma definição do senso comum, paisagem é definida como a porção visível do espaço, bem como sua representação. Contudo, sua abordagem científica vai muito além desta concepção,numa abordagem científica, a paisagem está relacionada principalmente a padrões espaciais e processos formados pelas relações entres os componentes naturais e aqueles construídos, sendo o visível apenas um de seus aspectos.[2] Por incluir aspectos da natureza e sociedade, o conceito de paisagem tem sido considerado como um guarda-chuva para projetos de melhoria da qualidade ambiental e urbana, a exemplo daqueles apoiados pela Iniciativa Latino Americana da Paisagem.[3]
Toda a paisagem somente é paisagem, quando é vista, sentida e percebida. Não podemos lembrar ou descrever alguma paisagem que nunca tenhamos visto, mesmo por intermédio de algum artifício (filme, fotografia, desenho, pintura, etc.). Então, a paisagem somente existe na relação do homem com o meio. E essa relação é sempre repleta de significados que são influenciados pela cultura de um determinado lugar e seu povo. Nesse caso, os estudos da paisagem como texto podem descrever os significados da ação humana sobre o processo histórico de sua formação e sua percepção..
O presente processo de intensificação da urbanização da sociedade afeta cada vez mais os corpos d’água e a sua qualidade, assim como implica uma maior demanda por água. Essa contradição é motivo de conflitos de uso. A final, "um habitante urbano consome em média três vezes mais água do que um habitante rural" (p.153). Outro ponto a ser destacado é que a água está sendo trazida de mananciais cada vez mais distantes, pois as fontes para o abastecimento nos grandes centros estão inviabilizadas pela crescente poluição.
Toda a paisagem somente é paisagem, quando é vista, sentida e percebida. Não podemos lembrar ou descrever alguma paisagem que nunca tenhamos visto, mesmo por intermédio de algum artifício (filme, fotografia, desenho, pintura, etc.). Então, a paisagem somente existe na relação do homem com o meio. E essa relação é sempre repleta de significados que são influenciados pela cultura de um determinado lugar e seu povo. Nesse caso, os estudos da paisagem como texto podem descrever os significados da ação humana sobre o processo histórico de sua formação e sua percepção..
Atualmente, pode-se pensar na Geografia Cultural como aquela que considera os sentimentos e as idéias de um grupo ou povo sobre o espaço a partir da experiência vivida. Trata-se de uma geografia do lugar. Também pode ser considerada como a dimensão espacial da cultura. Tradicionalmente, desde o começo do século XX, essa dimensão espacial tem sido focalizada por intermédio de temas como os gêneros de vida, a paisagem cultural, as áreas culturais, a história da cultura no espaço e a ecologia cultural. Para Cosgrove (2003, p. 103) "a tarefa da Geografia Cultural é apreender e compreender a dimensão da interação humana com a Natureza e seu papel na ordenação do espaço".

O site Fotografia Mais recebe textos de vários autores diferentes, contendo fotos ilustrativas para facilitar entendimento do conteúdo — sendo responsabilidade do autor do texto, citar as fontes e creditar devidamente os autores e/ou proprietários das imagens. Os nossos conteúdos utilizam fotos de bancos de imagem, fotos de fotógrafos profissionais e amadores, bem como fotos encontradas na internet — em sua grande maioria com os devidos créditos. Caso você encontre alguma imagem sem menção ao autor verdadeiro ou com informações erradas, por favor entre em contato para darmos os devidos créditos. Link para entrar em contato: aqui. The Fotografia Mais website receives texts from several different authors, containing illustrative photos to facilitate understanding of the content – being the author’s responsibility to cite the sources and properly credit the authors. Most of our content uses photos from banks of images, photos of professional photographers and amateurs, as well as photos found on the internet – all with the proper credits. If you find any image without mentioning the true author or with the wrong information, please contact us to give us the credits.
×