A paisagem em uma representação cartográfica necessita de um complexo e relativamente detalhado inventário geográfico. A observação tem de partir do nível dos geofácies até mesmo caso eles não figurem na carta. A parte principal do trabalho ocorre no terreno: levantamentos geomorfológicos, pedológicos e fitogeográficos, exame das águas superficiais, observações meteorológicas elementares, inquéritos sobre o sistema de valorização econômica (gestão florestal, percursos pastoris, direitos de uso, etc...). Em geral, esses levantamentos temáticos e informações são completados pelos trabalhos de diversos arquivos (cadastro, serviços administrativos, etc...). Desse modo, para organizar toda essa documentação volumosa e disparatada, é necessário escolher uma linha mestra. Ela é fornecida pelo tapete vegetal cujo levantamento sistemático a 1/50.000, por um método simplificado, intermediário entre o do Serviço da Carta da Vegetação a 1/200.000 da França e o da Carta da Vegetação a 1/100.000 dos Alpes de P. Ozenda, serve de base à cartografia global das paisagens.

Como regar um jardim de frutas? Em nossos lugares, se o chão é mantido solto, você pode fazer sem regar. Mas nos jardins antigos, as árvores já estão tão acostumadas que não podem ficar sem água. Tão logo o tempo se torne mais seco, agora eles soltarão metade dos ovários se não forem regados. Aqui você só pode ano a partir do ano, com os devidos cuidados, desmamar as árvores de rega, e imediatamente você não pode desistir. Jovens jardins são sempre mais rentáveis ​​para sair sem regar, mas precisam ser atendidos, como já descrito aqui.
A noção de cultura não considera indivíduos isolados ou as características pessoais que possam possuir, mas comunidades de pessoas que ocupam um espaço determinado, amplo e geralmente contínuo. Assim, a cultura está assentada em uma base geográfica. Dessa maneira, a Geografia Cultural é a aplicação da idéia de cultura aos problemas geográficos, os aspectos da Terra, em particular aqueles produzidos ou modificados pela ação do homem (sociedade). Distingue, descreve e classifica os complexos típicos de aspectos ambientais, incluindo aqueles realizados pelo homem, que coincidem com cada comunidade cultural, considerando-os como paisagens culturais e procurando origens na história cultural. Assim, a cultura ao produzir e reproduzir o espaço, deixa a sua marca visível, o resultado material da interação do homem com o meio: a paisagem ou a paisagem cultural.
O urbano está repleto de significações culturais, desde a forma de organização e de uso do solo, nas suas materialidades, que são expressas em suas construções (ruas, casas, avenidas, edifícios, praças, parques, monumentos, etc.) ou nas suas relações econômicas e sociais, redes técnicas e informacionais (SANTOS, 2002, p. 263). Pode-se dizer também que a cidade abriga atualmente um contigente majoritário da população, e os interesses individuais são contraditórios. No espaço urbano, os diferentes interesses, relacionados à ocupação e uso do solo, estão repletos dessas contradições (CARLOS, 2005, p. 42). Santos (2002 p. 78) diz que "através do trabalho, o homem exerce a ação sobre a natureza, isto é, sobre o meio, ele muda a si mesmo, sua natureza intima, ao mesmo tempo em que modifica a natureza externa". E como a paisagem é a materialização do processo relacional homem/meio, a paisagem urbana tem, sem dúvidas, esse significado.
No dia seguinte, Kristof, que é um belga magro de mais de 1,90, estava na porta do hostel e quando me viu, não disse nada e me deu um abraço. Eu só conseguia chorar e pedir desculpas enquanto ele me dizia: “vai ficar tudo bem”. Fiquei durante quatro dias em Sint Katelijne Waver, uma cidadezinha pacata no meio da Bélgica na casa do meu amigo. Com uma dieta a base de waffles, chocolates, cervejas trapistas e kriek (uma espécie de cereja que serve para fermentar cerveja, fazer molhos, doces e basicamente tudo na Bélgica), o meu amigo me convenceu de que para fazer uma cicloviagem você precisa de pernas, vontade e algum conhecimento. Ser mulher é um fator que pouco importa diante disso, se você está na Europa.
Controle a saída de água do sistema de irrigação. Se você instalou um sistema de irrigação com sprinklers no jardim, é importante configurá-lo de acordo com as necessidades da grama. Para medir a saída de água, espalhe algumas latinhas de comida ou canecas pelo quintal e coloque os sprinklers para funcionar por 20 minutos e use uma régua para medir a profundidade da água em todo o quintal.
A quantidade de água necessária para o gramado depende não só da sua variedade, mas também da condição do solo de crescimento, bem como das condições climáticas. Lembre-se, irrigação freqüente em pequenas doses prejudica mais o gramado, o mais raro, mas abundante. A camada superior do solo deve secar antes do início da nova irrigação. Normalmente, o gramado precisa de irrigação de 3 a 4 vezes durante a semana quente de verão.
Regar sempre de manhã. Seja um jardim de flores ou de vegetais, a melhor hora do dia para regar é sempre de manhã. Se regar a meio do dia ou de tarde, será como não tivesse regado porque a água irá evaporar rápida e completamente. Se regar à noite, a água mantém-se sobre as plantas e folhas durante demasiadas horas, o que pode levar à formação de doenças várias. Sabia que o orvalho que cai sobre a terra ajuda-a a absorver ainda melhor a água da rega matinal?

Especialmente se você molhar as folhas! Manhã é o único momento em que a sua relativamente seguro para molhar as folhas das plantas propensas a doenças como tomates, rosas e lilases, porque o sol nascente seca rapidamente as folhas antes da doença de esporos que podem usar a umidade para se reproduzir . Dito isto, eu sugiro fortemente que você apenas aproveitar as folhas por um bom motivo, como uma alimentação foliar. É sempre melhor para regar plantas na base; e com o risco de doença, é muitas vezes a diferença entre a vida e o míldio.
A noção de cultura não considera indivíduos isolados ou as características pessoais que possam possuir, mas comunidades de pessoas que ocupam um espaço determinado, amplo e geralmente contínuo. Assim, a cultura está assentada em uma base geográfica. Dessa maneira, a Geografia Cultural é a aplicação da idéia de cultura aos problemas geográficos, os aspectos da Terra, em particular aqueles produzidos ou modificados pela ação do homem (sociedade). Distingue, descreve e classifica os complexos típicos de aspectos ambientais, incluindo aqueles realizados pelo homem, que coincidem com cada comunidade cultural, considerando-os como paisagens culturais e procurando origens na história cultural. Assim, a cultura ao produzir e reproduzir o espaço, deixa a sua marca visível, o resultado material da interação do homem com o meio: a paisagem ou a paisagem cultural.
Propõe-se então, como referencial para os estudos que pretendam avaliar a percepção da água na paisagem urbana, a comparação entre a percepção da paisagem e da água na paisagem pela população local, com as análises físico-químicas dos cursos d’água. Desta maneira, pode-se saber como está a saúde da rede hídrica na realidade e, de outra forma, como é percebida esta realidade pela população. Assim então, a partir dessa comparação, se terá subsídios para futuras intervenções na paisagem urbana, que tenham o objetivo qualifica-la, assim como qualificar as paisagens onde a água está inserida.
Ter um jardim bonito e exuberante para relaxar e brincar com as crianças é motivo de orgulho para muitas pessoas, mas manter a grama sempre verde requer muitos cuidados e um uso excessivo de água. Em alguns lugares, pode haver restrição quanto ao uso da água em determinadas épocas do ano, o que complica um pouco as coisas. Mesmo que não more em uma área com restrição, ainda é uma boa ideia economizar o máximo possível de água para cuidar do meio ambiente. Aprenda a regar seu jardim com eficiência para economizar dinheiro e recursos naturais.
Dos males, a mecânica, na verdade, era o menor. O que mais me assustava e me tirava a paz era a questão do assédio. Pedalando por São Paulo, já passei por algumas situações desagradáveis que vão desde motoboys me dizendo coisas impróprias no sinal, até um dia que fui seguida por um carro na Avenida Higienópolis. Coisas assim por aqui acontecem. E fico me perguntando se não deveriam acontecer? Afinal, de um lado a mídia infla a imagem da mulher como um objeto de beleza e prazer, do outro segue cultivando a sociedade do medo. É tudo muito sutil e você acha que não deve responder à altura a violência que é estar caminhando pela rua e ouvir um sonoro “delícia”. Até você estar em uma situação onde se sente vulnerável e começa a ver o helicóptero do Datena sobrevoando a Bélgica e na televisão o anúncio: “ciclista brasileira estuprada por maníaco belga é encontrada morta em rota ciclística”.
A paisagem cultural aborda a associação de características humanas, biológicas e físicas sobre a superfície da Terra (especialmente as que são visualmente perceptíveis), alteradas ou não pela ação humana. Como a paisagem, é considerada a materialização da ação humana no espaço, através da necessidade de adaptação à sobrevivência do homem na natureza, e, atualmente, a sociedade, de alguma maneira, está presente em quase toda a superfície terrestre, podemos dizer que, nessas circunstâncias, não mais existe uma paisagem natural. Haja vista que toda a paisagem, mesmo que aparentemente intocada, já perdeu a sua "naturalidade", pois foi, segundo Santos (2002), coisificada. Mesmo que o homem não tenha nela colocado os seus pés, já lhe foi atribuído algum significado e, portanto, faz parte de uma cultura, até mesmo de uma cultura capitalista, na qual faz parte o "racionalismo econômico" (LEFF, 2006) a tudo dá valor. Assim sendo, mesmo de maneira genérica, poder-se-ia dizer que toda a paisagem é cultural, pois mesmo nos recantos intocados das florestas tropicais há a incidência dos valores sociais atribuídos pelo homem.

Regar sempre de manhã. Seja um jardim de flores ou de vegetais, a melhor hora do dia para regar é sempre de manhã. Se regar a meio do dia ou de tarde, será como não tivesse regado porque a água irá evaporar rápida e completamente. Se regar à noite, a água mantém-se sobre as plantas e folhas durante demasiadas horas, o que pode levar à formação de doenças várias. Sabia que o orvalho que cai sobre a terra ajuda-a a absorver ainda melhor a água da rega matinal?
Chegando lá, um moço de vinte e poucos anos bem atarefado mostrou pouca disposição para me ajudar com uma rota. Ele me deu uma série de folhetos de uma rota fechada chamada Ravel, que me levaria até Hoegaarden. Mas não era para lá que eu queria ir. Como eu tinha outro problema, encontrar onde dormir, decidi deixar a rota para o dia seguinte e tentar me acalmar e descansar.
×